Blog
Home      Blog
  31 de dezembro de 1969

RECOGNAÇÃO


RECOGNAÇÃO                                                                                                                                                                      José Carlos Buch 

Com a proximidade do Natal penso que deveríamos voltar um pouco o filme da nossa vida e manifestar o nosso reconhecimento àquelas pessoas que um dia foram instrumentos de Deus em nossa vida. Certamente seria difícil enumerar todas, portanto, procure elencar as que mais marcaram e, assim, homenagear também aquelas que, eventualmente não serão lembradas. No caso deste colunista, a grande maioria dos seus mentores já partiu deixando imorredoura saudade. Contudo, a saudade só não é maior porque os seus exemplos e ensinamentos são eternos. A eles, orações não faltam nos meus momentos de reflexão. Nesse time, não poderiam deixar de ser titulares: Túlio Tricca, símbolo de paciência e tolerância, Ph.D. em direito empresarial e securitário que me fez mergulhar na vida profissional seguindo o seu exemplo; Júlio César Marino, menino prodígio cujo talento, criatividade, ousadia e obstinação pelo trabalho o fizeram um mega empresário, pela oportunidade, confiança depositada em mais de vinte anos e com quem aprendi, além de outras coisas, que Deus ajuda sim, quem cedo madruga; Cid Castilho, autodidata, redator impecável, rábula proficiente, pelos ensinamentos e que partiu sem dar a chance de redimir-me e dizer-lhe Adeus; ao José de Campos Neto, sinônimo de organização, paciência, tolerância e eterno secretário do Rotary, da vida e de muitos; Dr.Aurélio Nardini, engenheiro empreendedor, que gostava do que fazia e fazia o que gostava, que construiu um patrimônio industrial e um patrimônio maior ainda de exemplo de vida, pelo breve mas virtuoso convívio. Aos não menos importantes mestres, que felizmente tenho o privilégio de ainda conviver e desfrutar da amizade:  professor, contador e advogado Arlindo Augusto Manzoni que, ao abrir a primeira porta, me mostrou o caminho do “a, s, d, f e g” e a doutrina criada pelo frade italiano Luca Paciolo,  confiando no menino pobre e fazendo-o profissional respeitado na área de contabilidade e daí para o direito empresarial e, finalmente, ao professor e brilhante advogado Dr. Silvério Polotto que, além de mestre e conselheiro de todas as horas, não permitiu que me abalasse nos momentos mais difíceis e me fez acreditar que a justiça dos homens se apequena diante da justiça de Deus. A todos, indistintamente, meu eterno agradecimento. E você,  já voltou o seu filme e fez a sua lista?                           

advogado tributário

www.buchadvocacia.com.br                                       colaborador do Notícia da Manhã

VEJA TAMBÉM:
10 de maio de 2024
MÃE, SEMPRE COMEÇA COM “M”
10 de abril de 2024
FRASES QUE DIZEM MUITO – PARTE XII
26 de março de 2024
CRIME DA MALA, A VERDADEIRA HISTÓRIA
27 de fevereiro de 2024
FRASES QUE DIZEM MUITO – PARTE XI
19 de fevereiro de 2024
ANEDOTAS DE ADVOGADO
23 de janeiro de 2024
OS IRMÃOS QUE QUASE FICARAM MILIONÁRIOS

Solicite uma reunião com nossos
advogados especialistas:

Desenvolvido por BCS Desenvolvimento
Abrir bate-papo
Olá
Podemos ajudá-lo?